terça-feira, 9 de novembro de 2010

Fragilidade em idosos


A fragilidade no envelhecimento é uma entidade complexa e multifatorial, que abrange fatores biológicos, psicológicos e sociais no curso de vida. ( Bergman et al, 2004). O processo gera efeitos que podem evoluir para a irreversibilidade, em uma sequência que se inicia com a capacidade funcional, causa dependência e antecipa o evento morte.


Ainda não há um claro consenso que defina a síndome, havendo ainda controversas para sua classificação.


Vamos conceituá-la como uma síndome clínica caracterizada pela perda de peso involuntária, exaustão, fraqueza, diminuição da velocidade da marcha e do equilibrio e da atividade física. É resultante de modificações em múltiplos os sistemas e vários mecanimos que afetam o bem-estar individual. O fenômeno representa uma resposta não eficiente aos fatores estressores, com alteração nos sistemas neuroendócrino, imune e músculo-esquelético.


Em geral, os idosos reconhecidos como frágeis são aqueles que apresentam riscos mais elevados para desfechos clinicos mais adversos, tais como: dependência, institucionaização, quedas, piora do quadro das doenças crônicas, doenças agudas, hospitalizações, lenta ou ausente recuperação de um quadro clínico e morte.


Os principais compomentes da fragilidade são:
- Sarcopenia


- Alterações imunológicas e neuroendócrinas ( TEORIA DA CARGA ALOSTÁTICA)




As alterações nutricionais são frequentes nos idosos frágeis. Inúmeros são os fatores que podem ser responsáveis por esse quadro, tais como: efeito colaterais de medicamentos, alterações visuais, diminuição do paladar e olfato, problemas bucais, depressão, isolamento, anorexia, incapacidade física, doenças crônicas e problemas socioeconômicos.


Diagnóstico laboratorial: Não há, até 0 momento, marcadores específicos para definir a fragilidade, mas alguns podem estar presentes ( albumina, pré-albumina, transferrina, ceruplasmina, folato, zinco e vitaminas, coleterol e frações, triglicerídeos, IGF-1-GH, insulina de jejum e pós tolerância à glicose, IL-6, proteína C-reativa, dímero D, fibrinogênio...


Segunto Tineti e Speechley, 1991, os critérios para definição da fragilidade são: ( Idade > 80 anos, distúrbios funcionais (marcha, equilíbrio e força), perda da visão proximal e uso de sedativos)


Já para deficinção do vigor são ( idade < 80 anos, boa visão proximal, cognição intacta e prática de exercícios físicos).

Para se classificar um idoso como frágil são necessários: 4 critérios de fragilidade + 1 critério de vigor.


Para se classificar um idoso como não-frágil: 3 critérios de vigor + 2 ou < de fragilidade

Para se classificar um idoso como sendo de transição: Outras combinações.


Rockwoood et al, 1994 define os índices de fragilidade como leve, moderado ou grave.


Leve: Leve déficit cognitivo ou auto-relato de incapacidade em pelo menos uma AIVD's com função cognitiva normal.


Moderada: Demência leve ou auto-relato de atividades de vida intermediária com função cognitiva normal.


Grave: Demência grave ou severa ou auto-relato de incapacidade em AVD's, independente do déficit cognitivo.




Síndrome Biológica da fragilidade - Fenótipo de Fried et al, 2001.

1- Perda de peso não-itencional no último ano, auto-relatado: > ou igual a 4,5Kg ou > ou igual a 5% do peso corporal


2-Exaustão avaliada por fadiga auto-relatada por duas questões da Center for Epidemiological Studies - Depression ( CES-D)


3- Diminuição da força de preensão manual ( percentil 20%)


4- Lentidão psicomotora


5- Baixo nível de atividade física, ajustado ao sexo.




Fisioterapia




É imprescindível avaliar o grau da fragilidade para traçar a conduta mais acertada, que deve se basear principalmente em combater a perda de força e massa muscular, que fará com que o idoso incremente a realização das Atividades de vida diára, o equilibrio e funcionalidade, trazendo para si outras conquistas que levarão a uma melhor qualidade de vida.






Manuela Belo Franco Bárbara


Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela FCMMG-MG








Um comentário:

  1. Há alguns erros de digitação (letras sobrando ou faltando) no texto acima e não consigo corrigí-los. Tentarei até conseguir.

    ResponderExcluir